Sampaio e o Renner

José Miguel Pereira de Sampaio foi cartunista da Folha da Tarde Esportiva. Nascido em 27 de julho de 1927, exatamente 4 anos antes da fundação do G. E. Renner, Sampaio foi, junto com seu irmão SamPaulo, um dos precursores do cartunismo no Rio Grande do Sul. Em 1954, ano em que o G. E. RennerContinuar lendo “Sampaio e o Renner”

A caminho da conquista

Renner e Grêmio se enfrentaram duas vezes no Campeonato Citadino de 1954. No primeiro confronto, realizado em 14 de novembro daquele ano, o time dos industriários não deu chances para a equipe visitante. Dominou o jogo do início ao fim. Com gols de Ênio Andrade, Breno e Pedrinho, o Renner mostrou que estava em grandeContinuar lendo “A caminho da conquista”

Jogo dos recordes

O confronto mais aguardado do Campeonato Citadino de 1955 foi a partida entre o G. E. Renner e o S. C. Internacional realizada em 26 de junho. Programada para um domingo à tarde, a peleja mobilizou uma multidão para o Tiradentes. As ruas do entorno do Estádio ficaram lotadas. Os torcedores estavam ansiosos pelo embateContinuar lendo “Jogo dos recordes”

Goleada e conquista

Em 20 de maio de 1951, no encerramento do 1º turno do Campeonato Citadino, o G. E. Renner tornou-se campeão do Torneio Extra de Porto Alegre. Nesse dia, ao golear o esquadrão do Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense, em pleno estádio do adversário, a equipe rennista mostrou que estava vivendo tempos áureos. A manchete da FolhaContinuar lendo “Goleada e conquista”

Três vezes Renner

O calendário marcava 24 de agosto de 1958 quando o G. E. Renner e o S. C. Internacional entraram em campo para se enfrentar três vezes. Era um domingo gelado, típico do inverno gaúcho. O Internacional, já calejado pelas conquistas de diversos campeonatos, tinha a expectativa de vitória. O time rennista, no entanto, estava emContinuar lendo “Três vezes Renner”

Os 3 mosqueteiros

Orlando, Valdir e Paulistinha formaram o melhor conjunto de defesa já visto nas dependências do G. E. Renner. O êxito do trio teve origem nos gramados do Grêmio Foot-ball Porto Alegrense, esquadrão que Paulistinha e Orlando defenderam antes de serem contratados pelo time dos industriários. No time gremista, a dupla de zaga já se mostravaContinuar lendo “Os 3 mosqueteiros”

O colecionador de títulos

A habilidade com a perna direita e a visão de jogo, considerada genial, foram os aspectos que levaram Ênio Andrade a ser considerado um dos maiores destaques da história do G. E. Renner. Na bola parada, em pênaltis, faltas ou escanteios, o gol era quase certo. Ênio colocava a bola aonde ele queria. Com tamanhaContinuar lendo “O colecionador de títulos”

Campeões em festa

A torcida rennista invadiu o gramado do Waterloo assim que o árbitro apitou o final do jogo contra o Juventude. A inédita conquista do campeonato citadino de 1954, e os nove gols diante do time da serra gaúcha, foi o cenário perfeito para o início de uma gigantesca comemoração. Após sair do Estádio Tiradentes, osContinuar lendo “Campeões em festa”

A concentração do time campeão

A temporada em que o G. E. Renner se sagrou campeão do Campeonato Citadino de Porto Alegre foi recheada de treinamento e trabalho. A jornada dupla, que requeria dos jogadores aptidões futebolísticas e, também, habilidades comerciais ou fabris, exigia uma entrega completa dos atletas. O ano de 1954, ano em que o time dos industriáriosContinuar lendo “A concentração do time campeão”

Suspense nos Eucaliptos

A penúltima partida do campeonato citadino de Porto Alegre de 1952 tinha ares de decisão para as equipes do G. E. Renner e do S. C. Internacional. Apenas um ponto separava os times na tabela de classificação. A vantagem era do esquadrão colorado, que poderia conquistar o campeonato caso vencesse o time dos industriários naquelaContinuar lendo “Suspense nos Eucaliptos”