Três vezes Renner

O calendário marcava 24 de agosto de 1958 quando o G. E. Renner e o S. C. Internacional entraram em campo para se enfrentar três vezes. Era um domingo gelado, típico do inverno gaúcho. O Internacional, já calejado pelas conquistas de diversos campeonatos, tinha a expectativa de vitória. O time rennista, no entanto, estava em franca ascensão no cenário porto alegrense, e também absolutamente confiante que poderia fazer frente às equipes coloradas nas três categorias em que se enfrentariam naquele dia: juvenis, aspirantes e profissionais.

A primeira partida, disputada no colorado Estádio dos Eucaliptos, colocou frente a frente as equipes juvenis dos dois clubes. E o que se viu no gramado foi uma tremenda valentia dos garotos rennistas. Mesmo jogando no estádio adversário, os jovens do 4º distrito não se intimidaram e garantiram a vitória por 2 a 1.

O confronto entre os aspirantes, disputado logo depois do almoço, se mostrou absolutamente enroscado. Os jogadores dos dois times estavam querendo mostrar serviço. Afinal, a categoria de aspirantes era a porta de entrada para os profissionais. O empenho das duas equipes foi tremendo, mas o esquadrão rennista foi mais efetivo: 1 a 0 para o time da casa.

A partida de fundo, entre os profissionais, era a mais aguardada. 10.341 torcedores absolutamente ansiosos lotavam o Estádio Tiradentes quando os times entraram em campo. E não houve decepção. Com máximo entrosamento, os “brotos” rennistas atropelaram: 5 a 2 para o Renner, com gols de Higino (3 vezes), Cláudio e Joeci.

A imprensa porto alegrense, no dia seguinte, não poupou elogios: “MAIS UMA ARTE DOS BROTOS RENNISTAS”, “INTERNACIONAL CAIU INAPELAVELMENTE” e “RE-NAL CONSAGROU A POLÍTICA RENOVADORA DE S. RODRIGUES” foram algumas das manchetes. A mais emblemática declarava: “OS BROTOS GANHARAM COM ESCORE DE COPA DO MUNDO: 5 A 2”. A lembrança do resultado conquistado pela seleção brasileira na final da Copa do Mundo da Suécia era a cereja do bolo. O sucesso dos brotos rennistas já não era mera promessa, mas sim uma realidade.

Grêmio Esportivo Renner, 1958 – em pé: Henrique, Alduíno, Bonzo, Gago, Raul Puccio e Dilson; agachados: Joeci, Raimundo, Higino, Osquinha e Cláudio (Foto Reprodução / Acervo Memorial)

Contribuiu: Alduíno Zílio

Publicado por rennervive

Uma página dedicada ao Grêmio Esportivo Renner (1931-1959)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: