Revolução rennista

Em 26 de janeiro de 1959, o G. E. Renner foi alvo de mais uma reportagem especial, dessa vez na Gazeta Esportiva de São Paulo. Nessa matéria, assinada por Orlando Duarte, foi destaque a revolução que o time estava provocando no futebol gaúcho. Tal transformação era resultado do investimento do clube nos jovens jogadores. OsContinuar lendo “Revolução rennista”

Juarez Lemos, o Tanque

Juarez Lemos nasceu em 01 de maio de 1931, na cidade de Taquara (RS), terra de craques como Júlio Petersen, Oswaldo Brandão, Sérgio Moacir e Hélio Pires. Apaixonado por futebol, o jovem iniciou sua carreira em 1945 no tradicional S. C. Taquarense, onde permaneceu até 1949. Em 1950, Juarez se profissionalizou e passou a jogarContinuar lendo “Juarez Lemos, o Tanque”

Papão de 54

Lançado em 2005, o documentário “Papão de 54” resgata a trajetória da equipe do Grêmio Esportivo Renner campeã gaúcha de 1954. Talentosamente dirigido por Alexandre Derlam, o filme recorda com nostalgia e paixão o nascimento de um time que esteve a frente de seu tempo e que interrompeu o reinado da dupla Gre-Nal ao vencerContinuar lendo “Papão de 54”

Incerteza e destino

Mário Azevedo era o Presidente do G. E. Renner quando o clube foi extinto, em 12 de março de 1959. Dias depois, ainda acometido pela emoção, Mário concedeu uma entrevista ao jornal Folha Esportiva, evidenciando todas as suas tristezas e incertezas. Entre outras declarações, o Presidente assim se manifestou: “Estou desiludido. Tanto trabalho, tanto esforço,Continuar lendo “Incerteza e destino”

Tríplice vitória

O dia 24 de agosto de 1958 foi um dos mais felizes da curta trajetória do time dos industriários. Pela manhã, o time juvenil do G. E. Renner derrotou o esquadrão juvenil do Internacional em pleno Estádio dos Eucaliptos. A vitória por 2 a 1, em pleno gramado adversário, animou os esquadrões de aspirantes eContinuar lendo “Tríplice vitória”

Trabalho reconhecido

16 de dezembro de 1956 foi um dos dias mais felizes da curta trajetória do G. E. Renner. Após conquistar o campeonato de juvenis pela manhã, o time dos industriários conquistou também o campeonato de aspirantes no início da tarde. As duas conquistas alçaram o clube do 4º distrito a um outro patamar no cenárioContinuar lendo “Trabalho reconhecido”

Ataque fantástico

O ataque da equipe do G. E. Renner era um dos grandes diferenciais da equipe. Com preparação física e treinamento tático apurados, os resultados em campo refletiam o entrosamento que existia entre os jogadores. Foram seguidas temporadas com praticamente o mesmo plantel. E, não por acaso, foram os anos dourados do time dos industriários. AContinuar lendo “Ataque fantástico”

A máquina

O ano de 1953 foi um dos mais espetaculares da história do G. E. Renner. Os atletas estavam no auge de sua forma física e o desempenho técnico dos jogadores em campo era exemplar. Os três vice-campeonatos conquistados pelos seus esquadrões, nas categorias em que participou do campeonato citadino (juvenis, aspirantes e profissionais), foram aContinuar lendo “A máquina”

Paulistinha

Carlos Bermudez Guedes, o Paulistinha, por incrível que pareça, não nasceu em São Paulo. Paulistinha nasceu em Florianópolis em 23 de novembro de 1931, mesmo dia, mês e ano em que nasceu o lendário goleiro Valdir de Morais. Por obra do destino, tanto Paulistinha, quanto Valdir de Morais e Breno Mello, três dos maiores craquesContinuar lendo “Paulistinha”

Suspense nos Eucaliptos

A penúltima partida do campeonato citadino de Porto Alegre de 1952 tinha ares de decisão para as equipes do G. E. Renner e do S. C. Internacional. Apenas um ponto separava os times na tabela de classificação. A vantagem era do esquadrão colorado, que poderia conquistar o campeonato caso vencesse o time dos industriários naquelaContinuar lendo “Suspense nos Eucaliptos”