Que bonito é!

O Memorial Valdir Joaquim de Morais está pronto para a sua inauguração. A memória e a história do G. E. Renner estão preservadas. Os feitos, os craques e as principais lembranças estão reunidas. Assim o acervo celebra a vibrante trajetória de um time que marcou época e que nunca deixou a sua chama apagar… oContinuar lendo “Que bonito é!”

Valdir de Morais, 90 anos

Hoje, 23 de novembro, Valdir de Morais, o mestre dos goleiros brasileiros, e eterno goleiro do Papão de 54, completaria 90 anos de vida. Que o futebol brasileiro nunca esqueça a genialidade, a disciplina e a determinação desse goleiro rennista que conquistou o respeito e a admiração de todos que o conheceram!

O casarão da Casemiro

A conquista do campeonato gaúcho de 1954 pelo G. E. Renner foi o resultado de uma conjunção de fatores. Entre eles, está a absoluta concentração do esquadrão rennista promovida por Selviro Rodrigues, seu visionário técnico. Para promover tamanho empenho, Selviro organizava orquestradas concentrações nos dias anteriores aos jogos, onde o lazer, o descanso e aContinuar lendo “O casarão da Casemiro”

Aconteceu no Memorial

Olha que legal! Nesta semana, o Prof. Macchi recebeu o jornalista Luiz Arnim Schuch no Memorial do Renner. Filho e sobrinho de rennistas, Schuch teve passagens pelos veículos Folha da Tarde, Radiobrás e Zero Hora, e foi, também, secretário de redação e editor do jornal Correio do Povo. Aniversariante de ontem, 28 de outubro, oContinuar lendo “Aconteceu no Memorial”

Jogo dos recordes

O confronto mais aguardado do Campeonato Citadino de 1955 foi a partida entre o G. E. Renner e o S. C. Internacional realizada em 26 de junho. Programada para um domingo à tarde, a peleja mobilizou uma multidão para o Tiradentes. As ruas do entorno do Estádio ficaram lotadas. Os torcedores estavam ansiosos pelo embateContinuar lendo “Jogo dos recordes”

O colecionador de troféus

O Grêmio Sportivo dos Empregados da Firma A. J. Renner foi fundado em 27 de julho de 1931 com o objetivo de formalizar a reunião dos colegas que se encontravam para disputar partidas amistosas de futebol. O que os operários não esperavam era que, em uma tarde chuvosa de 1935, A. J. Renner, o capitãoContinuar lendo “O colecionador de troféus”

Os brotos e o velho mundo

O ano de 1959 começou agitado para o G. E. Renner. Além dos últimos jogos da temporada anterior do Campeonato Metropolitano, o time ainda fez uma viagem internacional, a primeira de muitos jogadores do elenco, para uma partida amistosa contra o Nacional de Montevideo. Estrategicamente colocado na agenda rennista, era um jogo-teste para a excursãoContinuar lendo “Os brotos e o velho mundo”

Rennistas em festa

As datas comemorativas fazem parte da história do G. E. Renner. Tamanho vínculo se deve ao hábito da diretoria do clube de utilizar os feriados regionais e nacionais para promover jogos e eventos comemorativos. O primeiro deles foi a inauguração do estádio do time, a qual ocorreu em um ensolarado 15 de novembro de 1935.Continuar lendo “Rennistas em festa”

Juarez Lemos, o Tanque

Juarez Lemos nasceu em 01 de maio de 1931, na cidade de Taquara (RS), terra de craques como Júlio Petersen, Oswaldo Brandão, Sérgio Moacir e Hélio Pires. Apaixonado por futebol, o jovem iniciou sua carreira em 1945 no tradicional S. C. Taquarense, onde permaneceu até 1949. Em 1950, Juarez se profissionalizou e passou a jogarContinuar lendo “Juarez Lemos, o Tanque”

Selviro Rodrigues, o super homem rennista

Selviro Rodrigues foi o treinador mais vitorioso do G. E. Renner. Nascido em Tupanciretã em 31 de agosto de 1917, desde cedo se interessou por esportes. Tamanho fascínio fez o jovem querer estudar no Instituto Porto Alegre (IPA), o qual era considerado, no final dos anos 30, a escola brasileira com melhores instalações e equipamentosContinuar lendo “Selviro Rodrigues, o super homem rennista”