Campeões em festa

A torcida rennista invadiu o gramado do Waterloo assim que o árbitro apitou o final do jogo contra o Juventude. A inédita conquista do campeonato citadino de 1954, e os nove gols diante do time da serra gaúcha, foi o cenário perfeito para o início de uma gigantesca comemoração. Após sair do Estádio Tiradentes, osContinuar lendo “Campeões em festa”

O encontro de Zé e Valdir

Nem todas as modalidades esportivas foram encerradas em março de 1959 no G. E. Renner. Ao contrário do futebol de campo, o futsal, o vôlei e o basquete continuaram a pleno vapor nas dependências dos industriários. No futsal, um dos maiores destaques era José Álvaro Dutra Pretz, o Zé Pretz, o melhor jogador de futsalContinuar lendo “O encontro de Zé e Valdir”

Memória e honra

Uma honra ter o projeto Renner Vive! lembrado mais uma vez na coluna ‘No Ataque’ do jornalista Diogo Olivier. A nota, publicada na edição de hoje do jornal Zero Hora, cita algumas das relíquias que compartilhamos por aqui. E lembra, também, que o Memorial Valdir Joaquim de Morais está prestes a ser inaugurado. Será umContinuar lendo “Memória e honra”

A fábrica em festa

A conquista do campeonato amador de 1944 habilitou o G. E. Renner para a disputa do acesso à Divisão de Honra do ano seguinte. O triunfo, no entanto, não garantiu a vaga direta na competição em que participavam todos os grandes de Porto Alegre. Isso ocorria, pois, após a conquista do campeonato amador, era necessárioContinuar lendo “A fábrica em festa”

O comandante

Antônio de Araújo Bittencourt, o Gradim, foi o treinador mais vitorioso da história do Grêmio Esportivo Renner. Suas mais célebres conquistas foram o pentacampeonato amador da cidade de Porto Alegre (entre 1938 e 1942), o campeonato de acesso à Divisão de Honra em 1944 e o torneio extra de 1947, o qual correspondia ao primeiroContinuar lendo “O comandante”