Carlos Augusto Homrich, o Carlitos

Carlitos iniciou sua carreira no Gaúcho, de Passo Fundo, onde foi campeão citadino em 1948 e 1949. Em 1950, aos 19 anos, ainda com idade para jogar no time juvenil, Carlitos estreou no time profissional do G. E. Renner como meia direita ponta de lança. Com extrema habilidade, o craque se adaptava em todas asContinuar lendo “Carlos Augusto Homrich, o Carlitos”

Novidade rennista

Os campeonatos que o G. E. Renner disputava estavam absolutamente acirrados quando a diretoria do clube decidiu investir em um novo espaço para concentração. A intenção era que o clube disponibilizasse aos jogadores uma sede própria e adequada para hospedar atletas. Afinal, belicosos confrontos se alinhavam no horizonte rennista e estar devidamente preparado era fundamentalContinuar lendo “Novidade rennista”

Físico, técnico e tático

A parceria do G. E. Renner com o Instituto Porto Alegre (IPA) proporcionou a racionalização das atividades de preparação física, técnica e tática dos atletas rennistas. Nesse período, que durou de 1950 a 1959, os jogadores-industriários eram observados e orientados em diversos aspectos: a preparação física era comandada por profissionais formados em cursos de EducaçãoContinuar lendo “Físico, técnico e tático”

A concentração do time campeão

A temporada em que o G. E. Renner se sagrou campeão do Campeonato Citadino de Porto Alegre foi recheada de treinamento e trabalho. A jornada dupla, que requeria dos jogadores aptidões futebolísticas e, também, habilidades comerciais ou fabris, exigia uma entrega completa dos atletas. O ano de 1954, ano em que o time dos industriáriosContinuar lendo “A concentração do time campeão”

Bem preparados

O desempenho do Renner no início do Campeonato Citadino de 1954 deixou claro que o time estava no auge do seu preparo físico, técnico e tático. Após vencer as três primeiras partidas, contra Aimoré, Flamengo (atual Caxias) e Floriano (atual Novo Hamburgo), a equipe chegou embalada para enfrentar o esquadrão do Força e Luz noContinuar lendo “Bem preparados”

Reforços na comissão técnica

O ano de 1950 começou com novidades no Grêmio Esportivo Renner. Após captar jogadores na várzea, e também o treinador Abílio dos Reis para atuar no time juvenil, Mário Azevedo, o visionário Presidente recém reeleito, passou a buscar outros profissionais para auxiliar no preparo físico e técnico dos atletas do clube. Entre eles, o dirigenteContinuar lendo “Reforços na comissão técnica”