Saudade Futebol Clube

Em novembro de 2013, o G. E. Renner foi pauta no “SporTV Repórter”, dentro da série “Saudade Futebol Clube”. O programa, exibido pelo canal SporTV, relembrou a trajetória e os maiores feitos do time dos industriários. A reportagem destacou a paixão que o clube despertou em seus torcedores e o bar/memorial criado para reunir asContinuar lendo “Saudade Futebol Clube”

Máquina ideal

Em seus áureos tempos, o G. E. Renner era conhecido como “A Máquina”. Tal como um mecanismo industrial, o time do 4º distrito de Porto Alegre tinha as suas engrenagens perfeitamente ajustadas, o que levava a equipe a apresentar um entrosamento fantástico. Pra completar, o esquadrão tinha qualidade técnica de sobra e um espetacular preparoContinuar lendo “Máquina ideal”

Órfãos da arquibancada

Em maio de 2007, o G. E. Renner foi assunto na edição nacional do Globo Esporte. Na série “Órfãos da arquibancada”, apresentada por Tino Marcos, foram apresentados os feitos e os maiores destaques do time dos industriários. Os craques Ênio Andrade, Valdir de Morais e Breno Mello foram lembrados pelas suas trajetórias. Raul Kinnemann, SérgioContinuar lendo “Órfãos da arquibancada”

Os 3 mosqueteiros

Orlando, Valdir e Paulistinha formaram o melhor conjunto de defesa já visto nas dependências do G. E. Renner. O êxito do trio teve origem nos gramados do Grêmio Foot-ball Porto Alegrense, esquadrão que Paulistinha e Orlando defenderam antes de serem contratados pelo time dos industriários. No time gremista, a dupla de zaga já se mostravaContinuar lendo “Os 3 mosqueteiros”

O encontro de Zé e Valdir

Nem todas as modalidades esportivas foram encerradas em março de 1959 no G. E. Renner. Ao contrário do futebol de campo, o futsal, o vôlei e o basquete continuaram a pleno vapor nas dependências dos industriários. No futsal, um dos maiores destaques era José Álvaro Dutra Pretz, o Zé Pretz, o melhor jogador de futsalContinuar lendo “O encontro de Zé e Valdir”

Trabalho e glória

Os jogadores do G. E. Renner, além de competir pelo time dos industriários, também exerciam diferentes atividades dentro da Indústria A. J. Renner & Cia. Mesmo nas vésperas de jogos, os jogadores não deixavam de registrar seus cartões-ponto e desempenhar suas funções. Era uma rotina dupla e corrida para os atletas. Em 17 de dezembroContinuar lendo “Trabalho e glória”

Luxo só

Olha que legal! Hoje o tema da seção “Reportagem Cultural” do estimado Jornal do Comércio foi o glorioso, meteórico e fantástico G. E. Renner. Na super-matéria produzida pelo jornalista Matheus Chaparini, o time dos industriários é precisamente observado como um fenômeno sociocultural que conquistou uma legião de admiradores. Além dos feitos do time do 4ºContinuar lendo “Luxo só”

Valdir Joaquim de Morais (1931-2020)

Valdir Joaquim de Morais nasceu em 23 de novembro de 1931. Era ainda muito novo quando começou a jogar futebol no Avante F. C., time da gurizada do bairro São Geraldo. Sua maior referência era o próprio Pai, o também goleiro, Hilário Joaquim de Morais. O futebol entrou de vez para a rotina de ValdirContinuar lendo “Valdir Joaquim de Morais (1931-2020)”

Todos os olhares

No dia 24 de julho de 1949, Valdir de Morais, aos 17 anos, fez sua 4ª partida como goleiro da equipe profissional do G. E. Renner. O confronto era válido pelo campeonato citadino e o adversário era o esquadrão do Esporte Clube Cruzeiro. Como todo bom clássico, a partida mobilizou uma multidão de torcedores atéContinuar lendo “Todos os olhares”

A estreia de Valdir

Abílio dos Reis foi uma das maiores contratações da história do G. E. Renner. A experiência na várzea porto alegrense, e também o hábil olhar para reconhecer craques, fizeram com que o treinador alcançasse inúmeros sucessos em sua carreira como técnico de futebol. Entre seus maiores feitos, além das conquistas dos campeonatos citadinos de juvenisContinuar lendo “A estreia de Valdir”