Todos os olhares

No dia 24 de julho de 1949, Valdir de Morais, aos 17 anos, fez sua 4ª partida como goleiro da equipe profissional do G. E. Renner. O confronto era válido pelo campeonato citadino e o adversário era o esquadrão do Esporte Clube Cruzeiro. Como todo bom clássico, a partida mobilizou uma multidão de torcedores atéContinuar lendo “Todos os olhares”

A fábrica em festa

A conquista do campeonato amador de 1944 habilitou o G. E. Renner para a disputa do acesso à Divisão de Honra do ano seguinte. O triunfo, no entanto, não garantiu a vaga direta na competição em que participavam todos os grandes de Porto Alegre. Isso ocorria, pois, após a conquista do campeonato amador, era necessárioContinuar lendo “A fábrica em festa”

O comandante

Antônio de Araújo Bittencourt, o Gradim, foi o treinador mais vitorioso da história do Grêmio Esportivo Renner. Suas mais célebres conquistas foram o pentacampeonato amador da cidade de Porto Alegre (entre 1938 e 1942), o campeonato de acesso à Divisão de Honra em 1944 e o torneio extra de 1947, o qual correspondia ao primeiroContinuar lendo “O comandante”

Inauguração é festa

O primeiro campo utilizado pelos funcionários da A. J. Renner & Cia ficava ao lado de um dos pavilhões da indústria de fiação e tecelagem. Esse terreno, no entanto, perdeu prestígio quando o clube inaugurou o Estádio Tiradentes em 15 de novembro de 1935. As festividades de inauguração do estádio localizado na esquina da Av.Continuar lendo “Inauguração é festa”

Um novo Waterloo?

O fascínio que o Grêmio Esportivo Renner causava nos moradores do 4º distrito de Porto Alegre também estava entrelaçado com a autoridade que a equipe impunha quando jogava no Estádio Tiradentes. Nesses momentos, o domínio estabelecido pelo time dos industriários sobre seus adversários era tanto que o Estádio passou a ser conhecido como Waterloo. TalContinuar lendo “Um novo Waterloo?”

Seleção Gaúcha = Renner

Depois de conquistar o campeonato estadual, toda a invicta equipe do Grêmio Esportivo Renner foi convocada para representar a seleção gaúcha no Campeonato Brasileiro de Seleções, inclusive o seu treinador. A competição, organizada pela Confederação Brasileira de Desportos, havia começado em 1954, mas fora interrompida em função da preparação da seleção brasileira para a CopaContinuar lendo “Seleção Gaúcha = Renner”

Campeão invicto!

O temporal que caiu na capital gaúcha na manhã do dia 08 de janeiro de 1955 provocou apreensão na concentração do Grêmio Esportivo Renner. A partida marcada para aquela tarde, contra a equipe do Esporte Clube Juventude, era de extrema importância, uma vez que poderia garantir a conquista do Campeonato Citadino de Porto Alegre peloContinuar lendo “Campeão invicto!”

Dedicação e conquista

As conquistas do Renner ocorridas no final dos anos 30 (e início dos 40) levou o time a outro patamar. Nesse período, o esquadrão de industriários começou a deixar de ser um time de colegas de trabalho que jogavam futebol aos finais de semana, e começou a se tornar um time com traços profissionais. OContinuar lendo “Dedicação e conquista”

As façanhas continuam!

Os anos subsequentes à inauguração do Estádio Tiradentes foram de suma importância para o aprimoramento do plantel Rennista. A imponência do Estádio influenciou diretamente o ânimo dos jogadores e o que se via, no ambiente da fábrica, eram operários cada dia mais orgulhosos e dispostos a competir pelo clube. Afinal, pisar no gramado do TiradentesContinuar lendo “As façanhas continuam!”