Calça, casaco e colete

Grêmio Esportivo Renner, 1958 – Em pé: Henrique, Alduíno, Bonzo, Gago, Raul Puccio e Dilson; Agachados: Joeci, Raimundo, Higino, Osquinha e Cláudio (Foto Reprodução / Acervo Memorial)

A renovação do plantel do Renner atingiu seu ápice em 12 de agosto de 1958. Nesse dia, depois de 12 anos atuando debaixo das traves rennistas, o lendário e extraordinário goleiro Valdir Joaquim de Morais assinou o contrato proposto pela Sociedade Esportiva Palmeiras. Do time campeão de 1954, agora restavam 3 craques: Bonzo, Gago e Joeci. O time, no entanto, ainda se mantinha altivo. Afinal, o Campeonato Citadino de Porto Alegre estava a pleno vapor e o sonho do bicampeonato ainda era alimentado pelos industriários.

Para o domingo, 24 de agosto, estavam previstas as partidas contra o esquadrão do Internacional nas categorias de juvenis, aspirantes e profissionais. Os dois times estavam nas cabeças do principal campeonato da cidade e os confrontos prometiam ser recheados de emoção.

Pela manhã, no jogo de abertura, os juvenis dos Renner se impuseram. Com Laerte no gol e Ícaro, filho de Selviro Rodrigues, no ataque, os jovens encontraram espaços para balançar as redes coloradas e vencer por 2 a 1. Na partida entre os aspirantes, disputada no início da tarde, mais uma vez o time do 4º distrito se sobrepôs: 1 a 0. Raul Kinnemann, na goleira, e Gilnei, autor do gol, foram os grandes destaques. Depois das vitórias nas preliminares, a expectativa só aumentou para o confronto final.

A torcida rennista lotava o Tiradentes quando o time da casa entrou em campo. E o que os torcedores assistiram foi um verdadeiro show. Jogando com desenvoltura e envolvendo a equipe adversária, o time da casa não teve dificuldades para balançar as redes coloradas em cinco oportunidades. Higino (3 vezes), Cláudio e Joeci foram os autores dos gols. 5 a 2 foi o resultado da goleada.

Extasiados, os torcedores alvi-rubros cantaram a vitória e não economizaram na flauta, dizendo que o time havia feito “barba, cabelo e bigode”. Já Mário Azevedo, Presidente do time e gerente de uma loja Renner, louvando a marca, disse que o time havia feito “calça, casaco e colete – com a boa roupa Renner, ponto por ponto”. A confecção estava a mil!

Publicado por rennervive

Uma página dedicada ao Grêmio Esportivo Renner (1931-1959)

3 comentários em “Calça, casaco e colete

    1. Henrique, não lembro, Bonzo, Gago, Raul, Dilson, Joeci, Raimundo, Higino, Osquinha e Cláudio. OvRenner saiu ganhando, o Internacional virou 1×2 e o Renner, virou e goleou. O Inter tinha Larti, Bodinho, e outros.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: