A concentração descontraída

Na fase amadora e no início da fase profissional, a rotina diária da comissão técnica e dos jogadores do G. E. Renner estabelecia que eles deveriam inicialmente executar as suas atividades na fábrica e, posteriormente, praticar as suas atividades esportivas. Essa rotina só foi alterada em 1948, quando Gradim, o técnico-tecelão, sugeriu ao Presidente doContinuar lendo “A concentração descontraída”

Um Presidente inesquecível

Antônio Casaccia passou a ser o Presidente do G. E. Renner em 1946, um ano após o time conquistar o acesso para a divisão de honra do futebol gaúcho. O desafio era manter a jovem agremiação entre os grandes da capital. Tal desafio, no entanto, não parecia assustar o traquejado gerente das Lojas Renner eContinuar lendo “Um Presidente inesquecível”