Um novo Campeão Gaúcho

Capa do jornal Folha da Tarde Esportiva, de 04 de Abril de 1955 – Renner Campeão estadual (Foto Reprodução / Acervo Memorial)

O Campeonato Gaúcho de 1954 foi disputado logo após encerramento do Campeonato Citadino (também chamado de Metropolitano) conquistado pelo Renner. O regulamento dessa competição previa jogos em turno e returno entre os campeões de quatro regiões do estado. Eram eles: o G. E. Brasil, de Pelotas (região Litoral/Sul); o E. C. Ferro Carril, de Uruguaiana (Fronteira); o G. E. Gabrielense, de São Gabriel (Central); e o G. E. Renner, de Porto Alegre (Metropolitana).

Após o Gabrielense desistir de participar do campeonato, talvez temendo o enfrentamento contra o favorito time dos industriários, a competição teve início. O Renner, exalando confiança, estreou na competição com uma vitória por 2 a 0 contra o Ferro Carril, e, em seguida, arrancou um empate em 1 a 1 contra o Brasil, em Pelotas.

No início do returno, após o Brasil vencer o Ferro Carril pela segunda vez na competição, restou ao Renner vencer novamente o time de Uruguaiana para que o time de Pelotas não abrisse vantagem na liderança do Campeonato. E foi com sangue nos olhos que os jogadores rennistas entraram em campo. A vontade era tanta que Breno passou do ponto em uma entrada violenta em Amantino, um dos defensores do time uruguaianense. A expulsão do craque rennista, no entanto, não saciou o desejo de justiça do zagueiro, que partiu para cima de Breno e o acertou com um soco.

Amantino, mesmo expulso, continuava enfurecido e se recusava a sair de campo. Enquanto isso, os piromaníacos torcedores carrilenses, em apoio a seus jogadores, começaram a atear fogo em diferentes pontos das arquibancadas. A confusão era tanta que a única solução encontrada pelo árbitro foi chamar a polícia para retirar a ensandecida equipe do Ferro Carril de campo aos 40 minutos do primeiro tempo, quando o placar marcava 1 a 0 para o Renner.

No último e decisivo jogo da competição, o esperado. Jogando em casa, o Renner não teve dificuldades para abater o Brasil por 3 a 0, gols de Breno (2) e Pedrinho. Juarez, o artilheiro da competição, não marcou dessa vez, mas deu assistência aos seus companheiros. O Rio Grande do Sul acabava de ganhar um novo campeão, era a vez do invicto e implacável G. E. Renner comemorar!

Publicado por rennervive

Uma página dedicada ao Grêmio Esportivo Renner (1931-1959)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: