Ênio Andrade, o estrategista

Ênio Andrade e Telê Santana, no pré-jogo de Renner 1 x 4 Fluminense, o qual marcou o encontro de dois craques que entraram para o rol de melhores treinadores do Brasil (Foto Reprodução / Acervo Memorial)

O G. E. Renner foi o celeiro de uma série de craques. Um dos mais célebres foi Ênio Andrade, aquele mesmo que posteriormente se tornou um dos treinadores mais vitoriosos do Brasil. Ênio, assim como muitos gênios da bola, iniciou sua trajetória no futebol amador. A camisa do Marquês do Alegrete Futebol Clube foi a primeira que Ênio Andrade vestiu. E foi nesse time, da zona norte de Porto Alegre, que ele se destacou como zagueiro e começou a se afirmar no futebol.

Após curtas passagens pelo Esporte Clube São José, onde se profissionalizou, e pelo Sport Club Internacional, onde disputou o campeonato citadino de Porto Alegre pela primeira vez, Ênio Andrade foi contratado pelo Renner em 1951. Nessa época, assim como todos os jogadores rennistas, o jovem zagueiro também exercia atividades extra-campo: em horário comercial Ênio Andrade podia ser encontrado fardado como vendedor-atendente atrás dos balcões da loja Renner situada na Av. Otávio Rocha.

A jornada dupla não atrapalhava os passos e os passes do craque. Pelo contrário. Ao perceber a monstruosa habilidade de Ênio Andrade para pensar e jogar futebol, o treinador Selviro Rodrigues deslocou o jovem zagueiro para atuar no meio de campo. E foi ali, na meia esquerda, ao lado de seu irmão Ivo Andrade, que Ênio se destacou e levou o time dos industriários ao seu período mais vencedor. Os irmãos Andrade eram o cérebro do time.

Em 1954, após a seríssima lesão sofrida por seu irmão, a qual levou o meia a encerrar sua trajetória no futebol, Ênio Andrade teve que se readaptar com um novo companheiro. O entrosamento com Léo Gomes nas funções intermediárias, no entanto, foi rápido e a eficiência do plantel não foi prejudicada. O esquadrão rennista estava em seu esplendor.

No dia 31 de maio de 1956, no Estádio Tiradentes, ocorreu o confronto entre Renner e Fluminense. A partida colocou em lados opostos do gramado dois grandes craques e pensadores do futebol brasileiro: Ênio Andrade e Telê Santana. O público, sem saber, assistiu naquele dia a dois jogadores que entrariam para o seleto rol de melhores treinadores do País. Que privilégio!

Publicado por rennervive

Uma página dedicada ao Grêmio Esportivo Renner (1931-1959)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: