A estreia de Valdir

Grêmio Esportivo Renner, 1947/1948 – Em pé: Ari do Monte, Aulos, Osmar, Valdir, Raul e Neco; Agachados: Flávio, Pivete, Adir, Luis e Iris (Foto Reprodução / Acervo Memorial)

Abílio dos Reis foi uma das maiores contratações da história do G. E. Renner. A experiência na várzea porto alegrense, e também o hábil olhar para reconhecer craques, fizeram com que o treinador alcançasse inúmeros sucessos em sua carreira como técnico de futebol. Entre seus maiores feitos, além das conquistas dos campeonatos citadinos de juvenis dos anos de 1948 e 1949, está a descoberta da espantosa habilidade do goleiro Valdir Joaquim de Morais.

Valdir era goleiro do varzeano Pombal Futebol Clube quando o “garimpador de talentos” o convidou para jogar na equipe juvenil dos industriários. Após estupendas atuações na equipe dos brotos, Valdir foi promovido por Gradim ao time principal do Renner. E a estreia como profissional foi nada-mais-nada-menos do que contra o extraordinário “rolo compressor” montado pela equipe do Internacional.

O confronto agendado para 19 de junho de 1949 estava recheado de expectativas. Afinal, era a estreia dos times no campeonato citadino daquele ano e o Renner defendia uma invencibilidade de 7 jogos contra a equipe colorada. Pra completar, no apito estava Mr. Lowe, renomado árbitro inglês que veio da capital da República para apitar o clássico regional.

A partida foi absolutamente equilibrada e o grande destaque foi o estreante goleiro rennista. Demonstrando extrema competência, o jovem goleiro (apenas 17 anos!) impressionou o público presente no Estádio Tiradentes, esbanjando elasticidade e segurança em todos os seus movimentos debaixo das traves rennistas. O resultado, no entanto, não foi o esperado. A equipe do Internacional marcou 2 gols (Tesourinha, duas vezes), enquanto o esquadrão rennista balançou a rede colorada apenas 1 vez (Medina).

Mr. Lowe, o juiz importado para o confronto, ficou lembrado por uma atuação questionável. Em um dado momento do jogo, em que Renner dominava amplamente o time adversário, o juiz, talvez por pressão dos jogadores colorados, não assinalou um pênalti claro do zagueiro Nena sobre o rennista Saladura. Uma pena. A estreia de um dos maiores fenômenos da história do Renner poderia ter terminado com um resultado melhor.

Grêmio Esportivo Renner, 19 de junho de 1949 – Em pé: Pedro, Bedeu, José, Joãozinho, Valdir e Heitor; Agachados: Medina, Cabano, Saladura, Segura e Guido (Foto Reprodução / Acervo Memorial)

Publicado por rennervive

Uma página dedicada ao Grêmio Esportivo Renner (1931-1959)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: