A mais rennista das seleções

Ênio Andrade (camisa 10) cumprimenta Djalma Santos após o confronto Seleção Paulista 4 x 2 Seleção Gaúcha válido pelo Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais (Foto Reprodução / Acervo Memorial)

Após ser campeão citadino, o esquadrão inteiro do G. E. Renner foi convocado para representar a seleção gaúcha no Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais. O campeonato estava na fase de quartas de final quando o time dos industriários assumiu a camiseta com as cores da bandeira do Rio Grande do Sul.

Com a equipe absolutamente entrosada e esbanjando preparo físico, o plantel não teve dificuldades para atropelar o combinado cearense na etapa de quartas de final da competição. As duas vitórias (por 2 a 0 e 6 a 2) inflaram a confiança dos recém campeões para a etapa semifinal.

A seleção paulista, adversária na penúltima fase do certame, no entanto, era um adversário de peso. Em seu elenco estavam craques como o goleiro Gilmar e o zagueiro Djalma Santos. Mesmo assim, os entusiasmados atletas rennistas alimentavam a expectativa de chegar à decisão do glorioso campeonato nacional.

Após empatar em Porto Alegre com a seleção paulista em 1 a 1, a seleção dos industriários embarcou para o confronto em São Paulo recheada de boas expectativas. O que os atletas gaúchos não esperavam era que, além do time adversário, o árbitro Mário Vianna também se transformasse em mais um oponente dentro do gramado do Pacaembú.

O primeiro lance suspeito ocorreu aos 30’ do primeiro tempo, quando Mário Vianna expulsou o centro-médio Léo. Era a primeira falta cometida pelo rennista no confronto, a qual era digna, no máximo, de uma advertência. A expulsão foi motivo de comemoração para os 40 mil espectadores que assistiam à partida.

O segundo lance digno de nota foi o momento em que a seleção de São Paulo marcou o seu gol de falta. A barreira gaúcha ainda estava sendo formada quando os astutos atletas paulistanos cobraram a falta e marcaram mais uma vez. Mário Vianna, fazendo pouco caso das reclamações gaúchas, confirmou o gol e ordenou o prosseguimento do confronto.

Por fim, o juiz ainda confirmou um gol em que o atacante paulista Humberto se encontrava em claro impedimento. Ficou difícil para a mais rennista das seleções gaúchas. O placar de 4 a 2 para os paulistas eliminou os gaúchos da competição e acabou com o sonho do título. Uma pena.

Atletas do Renner fardados com o uniforme da Seleção Gaúcha para disputa do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais – Em pé: Valdir, Orlando, Bonzo, Léo, Olávio e Paulistinha; Pedrinho, Breno, Juarez, Ênio Andrade e Joeci (Foto Reprodução / Acervo Memorial)

Publicado por rennervive

Uma página dedicada ao Grêmio Esportivo Renner (1931-1959)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: